23 de junho de 2021

Citizen CZ SMART: um smartwatch que... parece um relógio

 

Citizen CZ SMART

São raros os exemplos de smartwatches de que tenho aqui falado ao longo dos anos, à exceção de alguns Casio com ligação Bluetooth ao telemóvel. Isto porque o conceito de smartwatch é, de alguma forma, contrário ao do relógio em si mesmo. Afinal, um relógio pode ser para sempre, passando de geração em geração, enquanto que um smartwatch durará enquanto a sua bateria interna (normalmente, não substituível) sobreviver ou, pior, até que deixe de haver suporte para o seu sistema operativo.

Além disso, os smartwatches são também habitualmente fabricados por empresas que nada têm a ver com a relojoaria, como a Samsung, a Apple ou a Garmin. Por isso penso que vale a pena celebrar este novo smartwatch da Citizen, o CZ Smart, baseado no novo sistema operativo WearOS da Google (compatível também com iOS), empresa que até agora não tinha conseguido apresentar a este setor propostas tão convincentes com é o Android para os smartphones.

O que mais me chamou a atenção neste "relógio" (vamos manter as aspas, por agora...) é o seu desenho: à primeira vista, nada o distingue de um cronógrafo, com os dois poussoirs a flanquear a coroa às 3h00. Só numa segunda mirada mais atenta percebemos que o mostrador inclui funcionalidades que nada têm a ver com as complicações da relojoaria, como é o caso do indicador de pulsações por minuto às 6h00 ou o medidor de passos às 9h00.

Um dos problemas, para mim, continua a ser o das dimensões demasiado grandes. Com o diâmetro de 46mm, esta é uma caixa claramente XXL que não irá funcionar bem em qualquer pessoa; apesar de ser uma limitação certamente imposta por fatores como o tamanho da bateria e do ecrã, gostaria de ver opções com um tamanho um pouco mais modesto – 43mm seria o limite para mim.

Outro detalhe que faz a diferença, pela positiva, é a bracelete em aço, que contribui para que este seja um smartwatch que passe por um relógio normal. Note-se, contudo, que a bracelete em aço é apenas proposta nesta referência específica, MX0001-58X, sendo a restante gama, com variantes na cor da bracelete, da caixa e do bisel, proposta apenas com braceletes em borracha.

Tal com acontece com os smartphones, o vidro escolhido aqui para proteção do mostrador é Gorilla Glass. A resistência à água é básica (3 atmosferas), pois este não é um modelo destinado a atividades aquáticas.

O calcanhar de Aquiles continua a ser a autonomia. A bateria recarregável incorporada não oferece mais do que 24 horas de funcionamento contínuo, mas é incluído um berço magnético com cabo USB para carregamento sem fios. Um carregamento de 40 minutos garante 80% da carga máxima.

Resta o preço. Não sei, sinceramente, se o valor de referência de 395 dólares é um ou não um bom negócio, uma vez que a experiência deste tipo de equipamentos, por assim dizer, depende muito de utilizador para utilizador.

Mas, para quem precise mesmo de um smartwatch e queira continuar a ter a experiência de usar um relógio convencional, esta proposta da Citizen parece-me bastante interessante.

 

Sem comentários :

Enviar um comentário