16 de dezembro de 2020

Junkers Cockpit 9.14.01.02.M

 


A Junkers é uma marca de que gosto muito, graças não apenas à sua excelente relação preço-qualidade, como à sua estética, de uma maneira geral muito bem conseguida. De resto, já aqui fiz uma análise detalhada a um cronógrafo automático da marca baseado no movimento ETA 7750 (a.k.a. Valjoux) e que continua a ser um dos preferidos da minha pequeníssima coleção.

Acontece que, em 2019, a marca deixou de ser produzida pela Pointtec, empresa alemã que é também responsável pelas marcas Zeppelin e Iron Annie. A licença de utilização do nome Junkers, que tinha uma duração de 25 anos, expirou e a família Junkers não a renovou, preferindo lançar-se, ela mesmo, no negócio da relojoaria, prescindir de distribuidores na maioria dos países (incluindo Portugal) e vender através do seu website.

Acontece que, pelo que já tive oportunidade de ver "na mão", os novos Junkers não estão ao nível das anteriores produções da Pointtec. A marca continua a incluir a menção "Made in Germany" nos mostradores, mas não se sabe muito bem quem é responsável pela sua montagem.

Dito isto, estes são relógios que continuam a ser bastante baratos para o resultado final. E, além disso, a marca Junkers consegui (graças à Pointtec em geral e, em Portugal, do seu distribuidor português, a SRI, em particular) ganhar algum prestígio ao longo das últimas duas décadas.

Este preâmbulo serve de aviso apenas a quem já comprou um Junkers na "era Pointtec" e agora contempla a opção de comprar um modelo mais recente: a qualidade poderá não ser aquela de que se está à espera.

O que nos traz a este cronógrafo da série Cockpit, o qual é baseada num movimento de quartzo infelizmente pouco usado, o Miyota 6S00, uma evolução do 0S00 de que aqui já falámos por diversas vezes. Trata-se de um movimento interessante uma vez que permite criar mostradores que, à primeira vista, parecem revelar a utilização de um ETA 7750, com os seus três sub-mostradores e a janela de dia e data às 3h00.

Face ao 0S00, este novo 6S00 oferece uma nova funcionalidade interessante: o ponteiro central, que conta os segundos em modo cronógrafo, tem um movimento de 4 "beats" por segundo, o que lhe dá um feel mecânico face ao tradicional movimento de um "beat" por segundo, típico dos movimentos de quartzo.

Quanto a este modelo em particular, a referência 9.14.01.02.M possui uma caixa em aço com acabamento polido de 42mm de diâmetro, vidro de safira e resistência à água de 5 atmosferas. A bracelete, igualmente em aço, complementa o relógio de forma bastante harmoniosa.

O mostrador, de fundo preto, possui um desenho simples, com numerais nas posições horárias, à exceção das 12, 3, 6 e 9 horas, devido à forma como foram implementados os submostradores e a janela de dia/data.

O preço é de 369€, o qual me parece perfeitamente justo face ao nível de execução aparente. Existem variantes com fundo azul e prateado, bem como variantes destes três modelos com braceletes em pele, com um preço de 340 euros.  

Sem comentários :

Enviar um comentário